A força das parcerias no futuro positivo do mercado imobiliário

Mesmo diante de um ritmo mais lento de recuperação, a estimativa da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) é que haja melhora no mercado imobiliário. A previsão de crescimento é de 10% a 15% em 2019. Segundo o Celso Petrucci, presidente da Comissão Imobiliária da CBIC, lançamentos e vendas continuam com índices saudáveis, tendo como destaque a habitação de mercado de médio e alto padrão. 

Diante a essa realidade, as parcerias são estratégicas para fomentar mais negócios em o cenário propício que está se formando. É fundamental exercitar um novo ponto de vista: a concorrência pode ser, na verdade, um grande aliado. 

Entenda a previsão positiva da CBIC, em uma breve análise, e porque investir em parcerias é essencial:

Reforma da previdência impulsiona o crescimento da economia 

A reforma da previdência tem sido muito aguardada para a impulsão da economia brasileira. Aconteceu em maio, no Rio de Janeiro, a 91ª edição do Encontro Nacional da Indústria da Construção (ENIC). Entre os dois dias de debate houve discussões e considerações valiosas sobre o futuro da construção Civil e do mercado imobiliário mediante o cenário brasileiro. 

No painel ˜Pauta positiva do Congresso Nacional para a Construção Civil˜, conduzido por José Carlos Martins, presidente da CBIC, Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, destacou a importância da Reforma e que o Congresso Nacional deverá aprová-la em breve. O consenso foi de que o Brasil precisa de políticas de curto prazo que incentivem a retomada de investimento e a geração de emprego.

Martins concorda com a necessidade da reforma para que haja confiança e segurança por partes dos agentes econômicos. O presidente da CBIC vê a reforma como um evento decisivo para o interesse de investidores e para um crescimento mais robusto da economia. 

Minha Casa Minha Vida: adaptações para a continuidade do programa

Neste mesmo painel também foram reafirmadas a preocupação de pautas reivindicadas pelo setor. Entre a retomada de obras públicas paralisadas e fomento de investimento em infraestrutura, a continuidade do Minha Casa Minha Vida (MCMV) foi um ponto de relevância na fala de Onyx Lorenzozi, ministro-chefe da Casa Civil.

Contra os R$ 7,5 bilhões liberados em 2017, foram R$ 5,02 bilhões em 2018 para o MCMV. Esse ano (2019) o orçamento foi de R$ 4,1 bilhões. Apesar do investimento em moradias populares ter caído, Martins acredita que o aporte em construção civil e infraestrutura é uma medida protagonista para a reativação da economia brasileira. A previsão do CBIC é de que a fatia de negócios que envolve as unidades do MCMV mantenha a estabilidade, ao passo que adaptações positivas complementem a solução de moradia. 

O Governo Federal começou a discussão sobre mudanças do programa que são complementares às faixas existentes. Entre elas está:

  • doação de terrenos públicos nas regiões metropolitanas para as construtoras;
  • financiamento as obras por meio de recursos do FGTS;
  • responsabilidade da construtora por administrar o condomínio durante 20 a 30 anos após construção;
  • pagamento de aluguel por parte do beneficiário pelo uso da moradia e, ao manter-se adimplente ao final do período, conversão dos valores pagos em propriedade do imóvel.

Segundo Martins, o ministro de Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, garantiu que mudança alguma será aplicada de forma precipitada. Além disso, o presidente da CBIC acredita que realmente é preciso revisar e incrementar o programa.

A força das parcerias no mercado imobiliário 

Muito se fala em analisar a concorrência, e isso realmente é importante, mas quanto mais você se atém às dificuldades menos enxerga as oportunidades. E a verdade é que existe muito potencial de negócios e espaço para articulação quando você se relaciona bem com outros corretores e, mais do que isso, se mostra aberto a parcerias. 

Cada vez mais, a colaboração é a alma do negócio. Não é à toa que serviços colaborativos tem tomado espaço no mercado e na economia, como Uber e Airbnb, por exemplo. No mercado imobiliário a tendência é a mesma. É preciso ressignificar as relações entre corretores e imobiliárias. 

Porém, como fazer isso de forma genuína e efetiva? Existem muitas formas. Construir relacionamento com outros profissionais em eventos é uma delas. Participar de fóruns, comunidades e debates online pode ser uma porta de entrada. 

3 EVENTOS PARA CORRETORES DE IMÓVEIS QUE VOCÊ PRECISA CONHECER

Você também deve usar movimentos que já existem no mercado nesse sentido. O próprio app da Beemob é um exemplo acessível. Nossa plataforma foi desenvolvida justamente para conectar corretores, imobiliárias e incorporadoras em tempo real para acelerar os negócios. 

APLICATIVO PARA CORRETORES: COMO USAR O APP BEEMOB EM SEIS PASSOS

Pensando em novas configurações do mercado imobiliário, pode-se citar ainda a Casa Mineira em Belo Horizonte que trabalha para qualificar o lead e, depois, fornece-o para imobiliárias com imóveis compatíveis com o perfil do cliente. Como ela ganha nessa relação? Com um percentual sobre a venda que ajudou a realizar.

Você quer saber mais sobre como estabelecer parcerias? Recomendamos fortemente essas duas leituras valiosas: 

Desejamos uma boa leitura. Até o próximo artigo!

Equipe Beemob

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *